UAlg Pelos Brasileiros

Seja algo positivo ou negativo, queremos saber mais sobre a sua experiência dentro da Universidade do Algarve. Solta o verbo!

Ontem na aula de Contabilidade e Finanças o professor [removido] foi rude ao responder uma pergunta que tinha feito. Pergunta: É possível fazer aporte financeiro para investimento de outro país? Resposta: A taxa tributária não é favorável, mas você pode voltar para o Brasil. Não é a primeira vez em sala de aula que isso acontece, mas quando você tem um professor que age dessa forma, ele valida que os alunos se comportem como ele.

Anônime, alune do Mestrado em Gestão de Empreendedorismo e Inovação

Sou aluna do segundo ano de Ciências Biomedicas, porém no meu primeiro ano na UAlg tive uma experiência ruim. Por ter ingressado na universidade muitos anos após ter concluído o secundário, tive grandes dificuldades em Química Geral, e no primeiro teste, ao “acabar” e chamar o professor para entregá-lo, ele olhou o teste e disse “por que não pões eu desisto?”, todos da sala me olharam e eu lhe disse “que gostaria que ele levasse e o corrigisse” e ele me respondeu que “teria que fazê-lo”. A partir deste momento, não fiz mais a cadeira, e posteriormente fui a direção do curso expor a situação, pois não achava que a atitude do professor havia sido ética, e expus outras situações que ocorriam com frequência não apenas comigo mas com outras colegas da turma, como por exemplo dizer que deveríamos colocar o livro na cabeça e ver se o cérebro absorvia o conhecimento instantemente. Porém, o que encontrei na diretora do curso foram as seguintes palavras “mas quem está reclamando são apenas brasileiras?”. Infelizmente é assim que as coisas acontecem, não eram apenas brasileiras, mas e se fossem apenas brasileiras?

Anônima, aluna de Licenciatura

em Ciências Biomédicas

A Universidade precisa melhorar muito o tratamento que faz ao estudante internacional e, principalmente, ao estudante brasileiro que é maioria na UAlg. Sofri por parte de colegas de curso e professores momentos ruins e por não querer mais viver essa humilhação tanto dentro como fora da universidade decidi voltar ao Brasil (é um dos motivos).

Vou relatar um pouco do que aconteceu comigo: teve uma aula em que o professor estava explicando sobre trocas e transações; nessa aula ele disse o seguinte para dar como exemplo sobre transação: “[removido], os brasileiros trocam beijos quando transam!? Certo? É uma transação!”. Todos da sala riram e eu fiquei espantada com a pergunta e não disse nada/fiquei sem reação.

Outro caso é em relação a trabalhos em grupo com os colegas portugueses, pois reclamam que eu escrevo “em brasileiro” e, muitas vezes, fui corrigida e até mesmo toda a parte que escrevi do trabalho foi retirada porque não aceitaram o conteúdo e a forma como tinha feito. Além disso, todo encontro para fazer esse trabalho virava um tipo de chacota quando eu falava alguma coisa, duvidavam das informações que eu retirava de sites portugueses (falavam que eram de sites brasileiros e eu mostrava para eles que não), não aceitavam minha opinião e nem sugestões, o que eles decidiam era o melhor. Ouvia comentários do tipo: “isso está em brasileiro, está errado!”, “esta informação não é de Portugal” (era um texto da Universidade de Lisboa e do site do INE - Instituto Nacional de Estatística), “esqueci-me de colocar esta merda que a [removido] enviou no trabalho” e etc.

Isso que relatei já vi outros colegas brasileiros sofrendo também e, acredito que assim como eu, não denunciamos ao reitor ou coordenador por motivos de sabermos que nada é feito! O máximo que acontece é um email ou ligação do reitor para gente e pronto. Quem comete esses atos fica tranquilo e acha que não fez nada de errado! Além disso, temos medo de perseguição por parte dos professores devido a denúncia feita.

Anônime, ex-alune da Licenciatura em Gestão

Fui aluna da UAlg por dois anos, e durante este período presenciei comportamentos que me fizeram refletir muito sobre a universidade, então, este ano eu decidi me desvincular dela. Eu acredito que a Universidade não está preparada para a quantidade de alunos que ela recebe anualmente, incluindo nós, estudantes internacionais. Eu sinto que ela não dispõe de uma equipe treinada e qualificada para lidar com estudantes, sempre sinto um desrespeito muito grande, seja pelos serviços académicos, docentes ou até mesmo dos colegas de sala. Eu me desvinculei da universidade porque eu simplesmente cansei de frequentar uma instituição de ensino onde não se ensina nada.

Ouvi inúmeras piadas e frases xenofóbicas de professores, e até da diretora do meu curso (que era minha professora). Ela amava dizer que não sabíamos falar, não sabíamos escrever e sempre tirava-nos pontos por isso. Foram muitas piadinhas na sala de aula. Tive uma outra professora, que assim como nós, era imigrante, mas ela simplesmente amava usar brasileiros de exemplo para tudo, mas é claro, de uma forma depreciativa. Como por exemplo " os casos de estupro no Brasil são em grande quantidade por causa das roupas que as brasileiras usam, elas não se respeitam..." ela disse isso em sala de aula, em um contexto completamente diferente, até porque, a matéria que ela lecionava se chamava "Temas de cultura Inglesa".

E Recentemente tive um problema (que eu considero o maior de todos) com os serviços académicos, onde estive em contato com eles por 4 meses, via telefone e e-mail para tirar dúvidas sobre uma candidatura da qual eu me interessava em fazer. Segui tudo conforme me disseram que seria, e no fim, quando paguei a taxa da candidatura, não foi aceite, porque tudo o que me disseram estava errado e meu processo nem foi analisado, e agora não posso ter o meu investimento de volta. São "pequenos" acontecimentos diários que desanimam!

Saímos do nosso país cheios de esperança e com vontade de dar o nosso melhor, e quando aqui chegamos é assim que somos tratados. Espero sinceramente que possamos ser ouvidos e RESPEITADOS!

Amanda Pessoa, ex-aluna do curso Línguas e Comunicação

Acho muito injusto o valor das propinas para os estudantes brasileiros, não há razões para serem tão altas, recebemos as mesmas aulas que os portugueses, não temos nenhum benefício a mais, e já que queriam cobrar mais caro, ok, mas em 1 mensalidade pagamos praticamente o que um aluno português paga por ano, isso é um absurdo, falta de respeito.

Anônime, Licenciatura em Biotecnlogia

Gostaria de deixar como sugestão para a universidade mais professores de outras nacionalidades. Infelizmente, no meu curso tive algumas situações de discriminação por escrever na minha língua materna, enquanto que textos do meu país de origem são bastante frequentes nas aulas, a escrita dos alunos brasileiros ainda é muito criticada. Podem assim fazer workshop de português ou algumas formações para os docentes que já estão na casa há alguns anos.

Brisa Braga

Fale sobre a sua experiência na UAlg

Este espaço está aberto para críticas, elogios e, principalmente, sugestões. 

Selecione
Quer que o seu depoimento seja anônimo?

Obrigado pelo envio!